“Sessentando”

Essa imagem foi montada pelo maridão aqui para o convite dos 60 anos da minha mãe; ela traz uma cena que meus pais nunca viveram juntos, que é andar de lambreta, mas não ficou uma graça?!
Num primeiro momento olho pra foto e vejo um olhar meio de “não faz isso”, porque a dona Ciça não curte mesmo aparecer em fotografias desde que retirou um tumor no nervo auditivo e ficou com uma seqüela no rosto em 2007, mas que está bem melhor do que imaginávamos inicialmente. Mas também poderia ser “aquele” olhar que me fazia sair correndo diante duma “arte” infantil, ou de quem estava aprontando alguma era ela e foi desfeita uma surpresa. Essa é a minha mãe!

Não tem jeito: desde ontem estou numa emoção só, de chorar pra caramba, desde ontem, quando vi uma das surpresas que estamos organizando ro dia de hoje, na hora da festinha que ela mesma organizou: mensagens de todos que consegui captar durante as semanas que se passaram. Tem desde a família no interior até das minhas amigonas que hoje moram no Rio de Janeiro, mas que a mãe amamentou sem fazer diferença se eram filhas de sangue ou da nossa vizinha.

Quando vi a figura da mãe amamentando um bebê e as fotos das gurias junto, quase inundei de lágrimas o salão de beleza, que foi nosso local marcado para a turma deixar suas mensagens.

Tem também o e-mail da outra amigona, que hoje vive no exterior e que sempre está sabendo da gente, fazendo questão de marcar presença e dizer o quanto a veínha a incentivou no esporte, fazendo dela uma campeã de atletismo. Isso ela não espera, mesmo, receber!

Quem não gosta de uma surpresa boa? Pois a mãe adora, curte qualquer lembrancinha e ainda anota todos os telefonemas que recebe no dia dela. Ela aproveita como criança, já que o coração dela é puro como o dos meus filhos. Sem maldade. Por isso, tenho certeza de que na hora em que ela receber o monte de mensagens vai pular, chorar de alegria, chamar as amigas de “tinhosas” com a voz bem melosa e cair na risada também!!!

Gostaria que nesse dia em especial ela soubesse o quanto é espetacular e que é uma mãe admirável; que a garra e a fé que tem nas pessoas fez toda a diferença nas nossas vidas como filhos que somos; que ela não desistiu nunca de ver meu irmão crescer e florescer, apesar de todos os diagnósticos que diziam o contrário. Está ele aí, com 31 e vem muito mais pela frente!

Mãe, te amo, não esquece. Sou muito do que sou por tua presença atenta, parceira, que colocava limites, mas também incentivava o melhor que havia em mim… Beijo!